Eficiência Alimentar

Resultados claros

O Rancho da Matinha iniciou em 2011 as avaliações para Consumo Alimentar Residual. Além da seleção para, fertilidade, crescimento, temperamento, rendimento e terminação de carcaça, agregamos ao nosso programa de melhoramento mais esta importante característica econômica. Os testes têm sido realizados em grupos de manejo (macho-fêmeas) de animais contemporâneos, permitindo alta confiabilidade nos resultados das avaliações fenotípicas intra-rebanho, a exemplo do conjunto de características que já vem sendo trabalhadas com sucesso.

Informações relevantes:

Dados da característica

O Consumo Alimentar Residual (CAR) é uma medida de eficiência alimentar. Ele é calculado através da diferença entre o consumo real de alimento e o consumo esperado, considerando o peso vivo e o ganho diário do animal. Desta forma, animais mais eficientes consomem menos alimento que o esperado e animais menos eficientes consomem mais que o esperado.

As provas têm duração de 90 dias, sendo os 20 primeiros dias para adaptação e 70 seguintes para efetiva medição do consumo alimentar individual.

Medição do consumo

Para medir o consumo individual de alimentos está sendo utilizado o sistema Growsafe. O sistema é composto por cochos, dotados de antena embutida capaz de detectar presença do animal, e de balança eletrônica que controla entrada e saída de alimentos. O sistema que trabalha de forma eletrônica registra simultaneamente a presença do animal no cocho e a quantidade de alimento consumida naquela visita.

Variação Genética / Herdabilidade

Em qualquer grupo de 140 touros ou mais são comumente encontrados animais que comem diariamente de 6,8 a 14 kg de matéria seca (MS). Isto indica variação na média de 34%. A herdabilidade estimada para a característica varia de 0,26 a 0,46.

Particularidades da característica

Experimentos indicam que o CAR é uma característica neutra não tendo correlação com características maternais tais como taxa de reprodução, taxa de permanência no rebanho, fertilidade e habilidade materna. Também não foram encontradas quaisquer relações com ganho em peso, ou outras características produtivas.

A neutralidade da característica sugere que a seleção da mesma deve ser feita em conjunto com outras economicamente importantes. Desta forma serão produzidos animais não apenas eficientes, mas acima de tudo mais rentáveis.

Resultados obtidos

Os resultados obtidos nas avaliações dos primeiros 1324 animais mostram significativa variabilidade genética, indicando boas possibilidades de progresso genético. Em 2014 iniciamos as medições de consumo das progênies de touros já selecionados para a característica, os resultados tem sido promissores.

Eficiência Sexo Animais IMG Kg GPD Kg/Dia Acabamento Consumo:Ganho Diferença dos mais eficientes
Terço eficiente M 268 6,72 0,99 4,66 7,12 -
Terço mediano M 399 7,31 0,98 4,65 7,83 8,8%
Terço ineficiente M 280 7,99 1,00 4,70 8,38 19,0%
Total 947 7,34 0,99 4,67 7,78
Terço mediano F 104 7,97 1,06 11,71 7,93 -
Terço ineficiente F 159 9,08 1,09 11,59 8,74 13,9%
Terço eficiente F 114 9,79 1,05 11,74 9,58 22,8%
Total 377 8,95 1,07 11,68 8,75
Total 1324

Vantagens da seleção

Estudos mostram que o alimento representa 70% do custo na produção pecuária. Assim a seleção para eficiência alimentar, além de reduzir substancialmente gastos nos confinamentos, proporciona aumento da produção animal em uma mesma área de pastagem. Com10 anos de seleção esperamos poder manejar 20% a mais de matrizes sem aumentar pastagens e qualquer custo com alimento. Esta é nossa meta, incrementar produção sem aumento de custo.